Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

iPhil

iPhil

Uber

22.10.14

Uber

 

Já alguns anos que ouvia falar e lia sobre o projecto "Uber", criado em 2009 em São Francisco. Foi um sucesso, expandiu-se pelo mundo e chegou finalmente a Lisboa.

 

Lançado oficialmente em Junho de 2010 em São Francisco, o Uber chegou no início do Verão a Portugal, especificamente a Lisboa e já deu que falar, com a habitual desconfiança dos taxistas (problemática que não é um exclusivo nacional). Para quem ainda não conhece, é um serviço de transporte privado personalizado em veículos topo de gama, baseado numa app, disponível para iOSAndroid e Windows Phone.

 

Uber App

 

Actualmente, o Uber está disponível em 45 países, em mais de 100 cidades em todo o mundo e começou o seu negócio com a conceito do UberBlack, uma clara alusão aos automóveis de transporte privado de Nova Iorque. Regra geral são veículos topos de gama e de cor preta. Sim, como aqueles que nos habituamos a ver nos filmes.

 

Dito isto e sendo eu, um curioso por estes projectos que saem de Silicon Valley e que acabam por chegar até nós, seria inevitável que tentaria utilizar o serviço. Na passada sexta-feira foi o dia ideal para o fazer.

 

Numa saída de amigos, decidimos que ninguém levaria transporte pessoal... automóvel, mota, etc. Conseguimos boleia para o local e no regresso, como sempre, o táxi seria a opção (e não me lembrava que já estava disponível uma certa aplicação do Meo).

 

Através de uma dica recebida no final da noite, decidimos na hora, instalar a aplicação, fazer o registo, carregar o cartão de crédito... e chamar um UberBlack. De resto, o processo é extremamente simples e a captação dos dados do cartão de crédito é semelhante ao Apple Pay, através da captação da imagem e leitura dos dados do cartão. No caso do Uber, com utilização de um recurso disponibilizado pelo PayPal.

 

Imediamente, temos acesso ao tracking da localização do automóvel que nos virá buscar, no local onde nos encontramos, bem como o nome do motorista, o modelo do automóvel (BMW Série 5) e a matrícula. Cerca de 8/9 minutos depois, o UberBlack chegou ao ponto de encontro (enquanto não chega, é possível contactar directamente o motorista, por telefone ou SMS). Um fantástico BMW Série 5 branco (sim, não era preto) na versão carrinha. Que maquinão. Do seu interior, saiu o Carlos, com óculos vermelhos na ponta do nariz, como se fosse declamar um poema, de fato e laço, que simpaticamente nos abriu as portas. Apesar de conhecer o serviço, nunca ia imaginar que o serviço prestado chegaria a este nível.

 

BMW Série 5

 

11 minutos e meio depois, num percurso de 9Kms, chegámos ao destino e confirmámos que o trajecto não teria qualquer custo, uma vez que as duas primeiras viagens são oferecidas, apesar do código promocional que tínhamos conseguido durante a noite e que nos fez arriscar contratar o serviço do Uber. De qualquer forma, acabamos por ter acesso ao custo da viagem. Neste caso, seria de 14,58€, com um arrendondamento de 0,58€ (uma prática habitual do Uber), ou seja, o serviço ficaria por 14,00€.

 

Durante a viagem, deu para confirmar mais alguns detalhes e curiosidades sobre o serviço. Os problemas com os taxistas, a entrada em funcionamento do horário 24 horas, a expansão para outras cidades portuguesas, como o Porto, criação de uma tarifa económica no centro de Lisboa com uma frota de Toyota Prius e que a frota actual do Uber é exclusivamente BMW (cerca de 20 veículos).

 

Em suma, recomendo vivamente o serviço, especialmente com as últimas experiências muito penosas com os taxistas de Lisboa, como utilizador, como condutor de veículo automóvel e como condutor de uma scooter. A qualidade de serviço apresentada pelo Uber é completamente imbatível. O automóvel, o trato, a simpatia e a educação do motorista (pelo que percebi, dava ideia que era originalmente motorista da Carris e o Uber é um part-time) e a qualidade geral do serviço não tem sequer comparação com o serviço prestado pelos Táxis, com condutores mal educados, rudes, veículos em péssimo estado e sempre com uma condução perigosa e abusiva.

 

Em relação ao preço... bom, não é, de facto um serviço barato. Mas não é muito mais caro do que uma viagem de táxi. Mas é preciso não esquecer o serviço diferenciador que é oferecido pelo Uber. Eu gosto de dizer que o Uber é low cost, quando comparado com os serviços de transporte com motorista premium, mas é um serviço premium quando comparado com os táxis.

 

Quem quiser conhecer um pouco mais do serviço, passe pelo uber.com ou visualize o vídeo de formação do Uber.

 

 

Projecto de Férias

28.09.14
Projecto de Férias

 

Já algum tempo que ponderava dar uma nova vida ao meu iMac de 24 polegadas de 2009. Estas férias e a chegada do OS X Yosemite foram o pretexto ideal para avançar com este projecto.


Com a descida constante de preços dos discos SSD, tornava-se cada vez mais apelativo, apostar na substituição do disco original (1TB) do iMac de 2009 por um disco SSD. Após uma pesquisa na web e com a ajuda do pessoal do Twitter, cheguei à conclusão que o Samsung EVO 840 de 250GB seria a melhor opção.

 

Sim, passei de 1TB para 250GB, mas o que perco em espaço (que posso recuperar com discos externos), compenso e muito em performance. Mas ao contrário dos portáteis, o processo de substituição do disco num iMac não é fácil.

 

iMac

 

Utilizei como referência o guia de substituição do disco rígido do iFixit, que indica que se trata de um guia com nível de dificuldade: Moderado. Não sei se será um pouco mais do que isso... alguns sensores que precisam de ser desligado e repostos. E depois de colocado o novo adaptador e o novo disco, apercebi que tudo ali é feito à medida e foi preciso colocar o disco SSD numa posição que é não compatível com o adaptador, por causa do comprimento dos cabos SATA.

 

iMac

 

Depois de tudo montado... chegou o momento de recolocar o vidro e necessitava de garantir que o LCD e o vidro ficariam limpos e imaculados, processo que se tornou quase tão complicado como a substituição do disco.

 

 

Após a substituição do disco, seguiu-se o momento de instalar da versão Beta do OS X Yosemite, para poder fazer uma instalação limpa. A performance impressionou, mas as aplicações de terceiros e limbo criado pelo iCloud Drive (que ainda não é reconhecido pelas actuais aplicações de terceiros), acabaram por criar um problema e acabei por regressar ao OS X Mavericks e voltarei a pensar na questão da instalação limpa, depois do lançamento do OS X Yosemite no próximo mês de Outubro, assim espero.

HelloLab

20.08.13
HelloLab

 

Voltamos a falar de mais um projecto "Made in Portugal". A HelloLab, é uma aplicação para iOS de edição de fotografia, desenvolvida pela Marcel Schmitz, disponível gratuitamente na App Store.

 

HelloLab é uma aplicação de edição de fotografia para o seu iPad, iPhone e iPod touch, que está disponível gratuitamente na App Store.

 

Com a HelloLab é possível editar as fotos que tira com o seu dispositivo iOS, para que apresente um resultado final, absolutamente profissional.

 

A principal característica, é sem dúvida, o seu interface simples e eficaz. De resto, é um problema, da maioria das aplicações de edição de fotografia, disponíveis para smartphones e tablets.

 

Para além do seu interface, apresenta 14 packs de filtros, com 8 opções para ajustar a sua foto, como exposição, contraste ou saturação. Sendo certo, que a aplicação é gratuita, há conjuntos de filtros que são adquiridos mais tarde, através de "In-app Purchases". No total, a aplicação como todos os filtros fica por 4,99€.

 

Como é habitual, também é possível fazer a partilha das vossas fotos nas principais redes sociais e claro, Instagram.

 

Um detalhe engraçado e de que sou fã, é a exportação das fotos editadas, com as tags estilizadas dos filtros utilizados. A maioria dos utilizadores, não deverá ser fã desta opção, pelo ruído causado pela tag, mas eu acho que fica absolutamente cool. Infelizmente, a exportação com a tag só está disponível em baixa resolução, mas a curta prazo o Marcel deverá fazer algumas melhorias e upgrades à aplicação, nos próximos dias.

 

Em baixo, deixo-vos com um exemplo de edição, de uma foto tirada com pouca luz, durante o espectáculo "Arco de Luz" no Terreiro do Paço. Podem clicar nas imagens, para terem acesso ao ficheiro na resolução original.

 

HelloLab - Original
Original
 
HelloLab - Alta Resolução
Alta Resolução
HelloLab - Baixa Resolução com tag
Baixa Resolução com tag

 

A app está disponível gratuitamente através da App Store e podem passar pelo hellolabapp.com, para descobrir um pouco mais sobre esta nova aplicação.

 


Link do Vídeo

Alma Portuguesa por Catarina Portas

05.08.13
Alma Portuguesa por Catarina Portas

 

No passado 27 de Julho, a RTP transmitiu o programa "Portugal de...Catarina Portas", em que a jornalista e agora empresária, fala do seu projecto "A Vida Portuguesa", mas também aborda a relação do seu projecto, com o futuro de Portugal e a sua tentativa em (re)encontrar ou (re)descobrir a Alma Portuguesa.

 

Há umas semanas, tive oportunidade de visitar pela primeira vez, a loja "A Vida Portuguesa" no Chiado. Naturalmente, já sabia da sua existência e os moldes em que tinha sido criada. Mas o sentimento que nos percorre a espinha, no momento em que visitamos a loja é absolutamente impagável.

 

Quando damos os primeiros passos naquela loja, é impossível ficar indiferente aos produtos e às marcas que estão expostos naquelas prateleiras. Somos imediatamente transportados para uma viagem no tempo. As recordações, os momentos, os cheiros, um tempo que não volta...mas a realidade é que a loja existe e aqueles produtos existem...em 2013.

 

A Vida Portuguesa

Foi durante a mesma visita, que me ocorreram outras questões:

 

 

"Mas então estes produtos não desapareceram?"


 

"Como chegaram estes produtos a 2013?"


 

"Quem produz estes produtos?"

 

 

 

No programa "Portugal de... Catarina Portas", com a autoria de Luís Osório, Catarina Portas fala sobre o seu projecto, mas não só. Fala das motivações que a levaram a apostar num mercado que a própria apelida de "Comércio Delicado", em clara oposição aos shoppings, aos hipermercados e ao comércio de retalho obessivo.

 

É nesse conceito em que se baseia o projecto "A Vida Portuguesa". Muitos olham para o projecto, como um projecto saudosista, que tenta recuperar produtos antigos. Mas o projecto é muito mais do que isso. Pode ser simplesmente uma "metáfora" para o país. Um país que deve apostar no que é seu. Um país que ainda tem uma capacidade diferenciadora, com produtos diferenciadores. A Europa já pode ter perdido isso. Devemos ser mais rigorosos e selectivos nos produtos que escolhemos. Como refere Catarina Portas, a forma como consumimos, por ser um acto político. A forma como podemos ser mais exigentes no momento em que compramos, pode definir o nosso futuro.

 

Como já terão percebido, revejo-me completamente nas palavras da Catarina Portas. Mas melhor do que qualquer texto que eu possa escrever, é ouvirem o seu relato pessoal, assistindo ao programa transmitido na RTP e à sua talk no TEDxPorto 2013.

 


Link do Vídeo

 


Link do Vídeo

 

"A Vida Portuguesa" está presente fisicamente com duas lojas, em Lisboa e no Porto. Mas podem conhecer a sua oferta, na loja online. O projecto, também pode ser acompanhado no Facebook.

Origama

22.07.13
Origama

 

Há umas semanas, decidi que o blog devia ter a função de promover alguns dos bons projectos que eu vou conhecendo, especialmente se forem "Made in Portugal". Mas, o tempo tem sido pouco, mas a praia e o Verão são um bom pretexto para falar da Origama.

 

A Origama é uma marca portuguesa, criada em 2012, e que está apostada em recriar produtos já existentes, conferindo um novo design e utilidade. Mas este empresa, não esquece a inovação também pretende desenvolver novos produtos que proporcionem utilidade e maior comodidade, especialmente na utilização de espaços ao ar livre, com especial destaque para as praias, uma vez que os produtos da Origama são pensados para pessoas que se identifiquem com um estilo de vida saudável, de partilha e harmonia com a Natureza mas que, ao mesmo tempo, não prescindam de novos conceitos e de produtos diferenciados.


Para já, a Origama lançou a Origama Chaise Longue, tem como base um conceito inovador que alia uma tolha de praia a um suporte em madeira, ambos com características especiais, que permitem uma utilização funcional e cómoda em areia, exactamente como podem ver na imagem que ilustra o post. Aqui o vosso amigo já experimentou e não desilude em nada.


E para além disso, a confecção dos produtos da Origama é feita totalmente em Portugal e também pelas reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires,  sendo desta forma possível uma maior reintegração social para as reclusas envolvidas no projecto, posicionando a marca, no âmbito da responsabilidade social, factor tão importante nos dias que correm.



Link do Vídeo


 

Passem pelo site origama-inc.com ou façam o Like na respectiva página do Facebook e não deixem de apoiar esta marca nacional.

Ginásio Mental

14.06.13
Ginásio Mental

 

Como sei que este blog, tem algum alcance (obrigado a todos, que estão desse lado) e considerando os tempos difíceis que o país vive, gostaria de aproveitar este espaço para dar alguns projectos interessantes que eu vou tomando conhecimento. Vamos começar pelo Ginásio Mental.


Detesto fazer compromissos em relação a conteúdos que desejo publicar no blog. Aqui a intenção seria, semanalmente, dar a conhecer alguns projectos nacionais e que merecem destaque ou com os quais tenho alguma afinidade.

 

Vamos começar então pelo Ginásio Mental.

 

O Ginásio Mental é um projecto inovador na área da educação, com métodos e serviços, ajustados ou devidamente personalizados a crianças, adolescentes, pais e professores.

 

Ou seja, se conhece alguém que esteja desmotivado para estudar, que tem difuldade em aprender ou pretende melhorar a sua performance cognitiva, o Ginásio Mental poderá ser a solução.

 

A equipa técnica constituição pelo Jorge Amorim (Téc. de Reabilitação e Inserção Social & Cientista Cognitivo) e pela Cristina Viegas (Psicóloga Clínica), colocam à vossa disposição, a criação de um programa personalizado de desenvolvimento de competências cognitivas para a vida (memória, cálculo, resolução de problemas, criatividade), com ênfase no trabalho da motivação e capacidade criadora, através de consultas individuais, em grupo ou através da realização de workshops para pais/encarregados de educação, mas também para professores.

 

Se ficaram curiosos, podem descobrir mais, através do Facebook ou através do ginasiomental.net.