Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

iPhil

iPhil

Recife

20.02.14
Recife

 

Recife...e de repente, o Recife está nas bocas do mundo, por causa da emigração de Fernando Tordo e o terno post do seu filho, João Tordo, sobre a opção de vida do seu pai, aos 65 anos.

 

Quis o destino, que também eu estivesse "próximo" do Recife. Não, não vou emigrar...mas os meus tios vão. O meu primo já lá está...entretanto foi a minha tia e assim que possível, vai o meu tio.

 

Os meus tios estão longe de merecer o estatuto de "reformados" e o meu primo está na flor na idade...com imensas ideias e projectos. Sendo ele "chef" (não faço ideia se devo escrever desta forma), optaram por apostar num projecto de restauração e hotelaria, precisamente no Recife, para onde vai Fernando Tordo. Por isso, consigo identificar-me completamente com o texto do João Tordo, o seu filho. 

 

Mas houve outra questão que me impressionou no texto do João Tordo...o ódio. Reconheço que não sou fã do trabalho do seu pai. Reconheço a sua importância, nos anos 70, nos difíceis anos pré-revolução. Para lá disso...a figura "Fernando Tordo", pouco ou nada me diz. No entanto, isso não significa que tenha que odiar o senhor. Não o conheço e até me reconheço nas motivações para abandonar um país, que tudo tem feito nos últimos anos, para que o seu povo perca a esperança.

 

Infelizmente, nas mais diversas áreas sinto esse ódio. Há falta de tolerância..."Se não é branco, é preto." "Se não estou a favor, é porque estou contra." e esquecem-se que há um meio-termo...uma zona de discussão cada vez mais curta, onde a hipocrisia tem ganho espaço.

 

Neste caso...era preferível ver um artista com o historial de Fernando Tordo (repito, goste-se ou não) a caminhar para a pobreza? A depender de subsídios? Receber 200 euros da SPA (lembram-se da revisão da Lei da Cópia Privada e da eliminação das entidades intermediárias)? Fernando Tordo não baixou os braços...foi à luta e aposta numa aventura brasileira no Recife e espero que tenha imensa sorte e consiga cumprir o seu sonho, exactamente o mesmo que desejo às pessoas que me são próximas e que se viram obrigadas a viver o sonho, fora de Portugal ou de Lisboa. E quantas pessoas "perdi" nos últimos anos. Custa-me falar no assunto. Fico deprimido só de pensar.

 

Se há revolta que devemos ter...é com este país e com quem nos governa. Esses sim, merecem o nosso ódio. Agora...aquela pessoa que decidiu prosseguir com os seus sonhos fora do país...por muito que me custe...só tenho que apoiar e esperar (cada vez com menos esperança) que essas pessoas regressem um dia.

 

Sim...este é um post mais pessoal, daqueles que deixei de fazer...tratando-se de um assunto, com o qual não me sinto confortável.

 

 

Ah! E já agora, quando forem ao Recife, passem pelo Sardinha! ;)

1 comentário

Comentar post